O WTCR promete tanto!

Depois de 2 dias em Barcelona para a apresentação oficial da competição à comunicação social e dos testes oficiais com (quase) todos os pilotos presentes, o WTCR seguirá imediatamente para Marrocos, para a primeira ronda do ano no Circuito Moulay El Hassan.

Mas o que podemos esperar deste novo formato?

Muita luta porta a porta, isso é quase certo. Um excelente grupo de pilotos que é bem capaz de nos dar que escrever e falar durante muito tempo depois das corridas. Serão com certeza corrida bem interessantes.

Tom Coronel referiu em Barcelona, que o facto dos carros TCR de agora darem mais espaço em pista para carros lado a lado e com toques entre eles, como é normal nas séries de turismos. Aliás, o holandês avisou-nos para esperarmos ver um Coronel bem mais activo nas lutas.

No Circuito Internacional de Vila Real, bastante elogiado por todos os jornalistas com quem falamos, poderemos assistir a manobras que até agora não tínhamos assistido enquanto WTCC. Lembram-se de algumas ultrapassagens mais ousadas nas corridas do ETCC? Mais ou menos como isso. Até pode ser que algum piloto do WTCR tente uma manobra “a la Manuel Pedro Fernandes”, quando o piloto de Vila Real venceu a corrida do ETCC em 2016. Quem sabe?

As expectativas estavam em alta em Barcelona durante os últimos dois dias. A juntar aos carros mais “pró-ultrapassagens”, temos um pelotão que mistura veterania com juventude. Mas não pensem que só os veteranos é que percebem disto, porque os jovens trazem já alguma bagagem nas corridas de turismos.

Se por um lado temos nomes como Tiago Monteiro, Tom Coronel, Gabriele Tarquini, Rob Huff (que não pôde estar presente em Barcelona devido a doença) e o regressado Yvan Muller, piloto e dono da sua equipa, mais conhecidos do público, os nomes de Aurélien Comte, Mato Homola, Nathanaël Berthon ou Denis Dupont terão que ser memorizados pelos fãs. São miúdos que são bons pilotos e já competiram com os carros TCR, por isso não é de admirar que um jovem bata o pé em pista a um veterano.

Esteban Guerrieri, Norbert Michelisz, Thed Björk, Mehdi Bennani, Frédéric Vervisch, Pepe Oriola estão num nível intermédio entre os mais velhos e os mais novos, mas não ficarão de fora das lutas pelas posições e vitórias.

Resultados dos testes

John Filippi, num Cupra TCR da Team Oscaro by Campos Racing, foi o piloto mais rápido da sessão combinada de testes de ontem. O francês esteve num ritmo diabólico, usando e abusando dos correctores da curva da entrada na recta da meta como mais ninguém o fez.

Pepe Oriola também se mostrou muito rápido e muito à vontade no Cupra, que conhece bem. O Cupra é um carro já muito desenvolvido e bastante bem equilibrado para qualquer circuito do WTCR. O handicap do espanhol, que já passou pelo WTCC e pelo TCR International Series, é o desconhecimento de algumas pistas, como é o caso de Vila Real.

Ou seja, os pilotos da Team Oscaro by Campos Racing foram os pilotos mais rápidos nas duas sessões (Filippi com o melhor tempo de tarde e na tabela de tempos combinada e Oriola na parte da manhã) e se olharem para a tabela de tempos, poderão ficar admirados com alguns pilotos que seriam à primeira vista, candidatos a melhores tempos do que aqueles que realizaram. Não se preocupem, porque muitos pilotos estiveram a testar configurações para Marraquexe, set up para qualificações ou até a fazer turnos mais longos para estudarem melhor o desgaste dos pneus nos seus carros como se estivessem em corrida.

A juntar a isso, como ainda não foi anunciado o Balance of Performance (BoP) para estas viaturas, algumas equipas apostaram em utilizar algum lastro em certos períodos, para perceberem como funcionará o peso extra nos seus carros, enquanto outras equipas não o fizeram e foram sem peso extra para a pista. Logo, os tempos do teste podem ser enganadores.

Um último apontamento para Tiago Monteiro. O nosso representante no WTCR não poderá estar presente na primeira ronda, porque a sua visão ainda não está a 100% devido às lesões que sofreu num acidente durante os testes privados da Honda no ano passado. Isso não retira a vontade de Monteiro em representar as cores nacionais na série. Tanto o piloto como François Ribeiro (o director do Eurosport Events), têm a certeza que estará presente o quanto antes no WTCR.

Lá teremos nós que puxar por Tiago Monteiro em Vila Real! Ou então por Tiago e pelo outro piloto nacional que Ribeiro sabe que estará presente na nossa ronda… quem será?

 

Chicane Motores para o CIVR

div#stuning-header .dfd-stuning-header-bg-container {background-image: url(http://www.circuitodevilareal.pt/wp-content/uploads/2017/05/11728841_1608813506073117_1700804965517783206_o.jpg);background-size: initial;background-position: top center;background-attachment: initial;background-repeat: initial;}#stuning-header div.page-title-inner {min-height: 350px;}